TOP online casino

Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano

AO VIVO: RÚSSIA ATACA A UCRÂNIA PELO 15° DIA; ACOMPANHE EM TEMPO REAL O CONFLITO NO LESTE EUROPEU

Russian Defence Ministry / AFPTanques russos avançam a caminho de Kiev, capital da Ucrânia

No final da noite da quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, autorizou o maior ataque de um país europeu contra outro do mesmo continente desde a Segunda Guerra. O governo russo justifica ação militar para proteger separatistas no leste da Ucrânia. “Tomei a decisão por uma operação militar”, declarou Putin em uma mensagem inesperada, transmitida pela televisão, pouco antes da meia-noite no horário de Brasília. As tensões geopolíticas começaram após a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) aumentar as atividades no território ucraniano. Depois de diversos movimentos de países ocidentais para dissuadir Putin de uma possível invasão ao país, o mandatário russo decidiu reconhecer a independência das repúblicas de Donetsk e Luhansk, internacionalmente reconhecidas como pertencentes à Ucrânia, na última segunda-feira, 21, aumentando a tensão na região. A crise geopolítica teve seu estopim na noite de quarta-feira, 23, com o presidente russo dando sinal verde para a operação militar na Ucrânia. Segundo as autoridades ucranianas, as Forças Armadas da Rússia realizaram ataques e bombardeios em diversas regiões do país, incluindo em grandes cidades do país, como Odessa, no sul da Ucrânia, e a capital Kiev.

Confira a cobertura ao vivo do conflito:

Acompanhe AQUI os acontecimentos mais recentes da invasão da Rússia à Ucrânia

 


09/03 – 23h30 – Ucrânia abateu 56 aeronaves e 82 helicópteros russos

Em dois dias, a Ucrânia eliminou quatro aeronaves russas Su-25, dois helicópteros e dois mísseis de cruzeiro em Kiev e nos arredores entre terça e quarta-feira, de acordo com a agência de notícias Interfax, que citou a Força Aérea das Forças Armadas Ucranianas. No total, os ucranianos afirmam que as perdas russas são de 56 aeronaves e 82 helicópteros.


23h – Rússia não abandonou planos de cercar Kiev, afirma Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia

A Rússia “não está abandonando seus planos de cercar” a capital da Ucrânia, Kiev, afirma o Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Ucrânia.O órgão disse que suas “forças de defesa estão repelindo e retendo” a ofensiva russa “em todas as direções”.Em alguns setores “as forças de ocupação perderam sua capacidade de combate” e agora estão trazendo suas reservas, disse o comunicado. As alegações não foram confirmadas de forma independente por veículos de imprensa e a Rússia não comentou.


22h40 – Estados Unidos dizem que Rússia pode usar armas químicas na Ucrânia

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que a Rússia pode pode usar armas químicas ou biológicas na Ucrânia, ou criar uma operação de “bandeira falsa” para usá-las. Psaki rebateu acusações da própria Rússia, que havia afirmado que os EUA e a Ucrânia desenvolviam armas do tipo, tendo transportado 80 toneladas de amônia para a região de Kharkiv. “Agora que a Rússia fez essas falsas alegações, e a China aparentemente endossou essa propaganda, todos nós devemos estar atentos para que a Rússia possivelmente use armas químicas ou biológicas na Ucrânia, ou crie uma operação de bandeira falsa usando-as”, comentou a porta-voz do governo americano.


22h20 – Canadá enviará US$ 50 milhões em equipamentos letais e não-letais à Ucrânia

A ministra da Defesa do Canadá, Anita Anand, informou que o país enviará mais US$ 50 milhões em equipamentos letais e não-letais à Ucrânia, como forma de ajuda militar. De acordo com Anand, será enviado material de alta especialiazação, como câmeras usadas em drones e mais.


22h – Símbolo da era soviética, montadora de carros Lada encerra atividades na Rússia

A montadora de veículos Lada, fundada na Rússia em 1973, anunciou nesta quarta-feira, 9, que irá interromper a produção em suas fábricas. O motivo? as sanções ocidentais ‘paralisantes’ que, segundo eles, não os dão possibilidade de reunir as peças e suprimentos de que necessita. O carro ficou famoso na União Soviética por sua acessibilidade. O presidente Vladimir Putin foi diversas vezes fotografado dirigindo modelos da montadora. A empresa é de propriedade da montadora francesa Renault, mas seus veículos são montados pela AvtoVAZ, uma fabricante de automóveis local. No ano de 2021, a Lada foi responsável por 20% das vendas de automóveis na Rússia, segundo a BBC.


21h30 – Ministros de Ucrânia e Rússia chegam à Turquia para negociações de paz

Os ministros das Relações Exteriores de Ucrânia e Rússia chegaram na noite desta quarta-feira, 9, na Turquia para negociarem um acordo de paz. O encontro foi promovido pelo ministro turco, Mevlut Cavusoglu, e acontece nesta quinta-feira, 10, na cidade de Antália. Essa é a terceira tentativa de acordo desde o início da guerra, em 24 de fevereiro, mas é a primeira vez que diplomatas dos dois países se juntam para conversar. Saiba mais.


21h – FMI aprova ajuda ‘crítica’ de US$ 1,4 bilhão para a Ucrânia

O Conselho do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou nesta quarta, 9, um financiamento emergencial de US$ 1,4 bilhão (R$ 7 bilhões) para a Ucrânia, a fim de ajudar o país, vítima de uma “enorme crise humanitária e econômica” causada pela invasão russa. A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, declarou que o pacote fornecerá “apoio financeiro crítico” que, por sua vez, catalisará uma “mobilização em larga escala” de fundos necessários para “mitigar os impactos econômicos da guerra”.


20h30 – Boris Johnson promete sanções mais rígidas à Rússia em ligação com Zelensky

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, fez uma ligação telefônica ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky nesta quarta, 9, e prometeu impor sanções mais rígidas à Rússia. Os dois também comentaram sobre o ataque a um hospital infantil em Mariupol nesta quarta, 9. “Ambos os líderes condenaram o terrível ataque a uma maternidade em Mariupol e o fracasso das forças russas em respeitar os acordos de cessar-fogo nos corredores humanitários.O primeiro-ministro observou que esta era mais uma evidência de que Putin estava agindo com descuido desrespeito ao Direito Internacional Humanitário”, disse um comunicado do gabinete de Johnson.


20h10 – Unicef e OMS condenam ataque a hospital infantil em Mariupol

Dois órgãos da Organização das Nações Unidas (ONU) condenaram o ataque a uma maternidade que ocorreu em Mariupol, na Ucrânia, nesta quarta, 9. A diretora-executiva do Unicef, Catherine Russell, disse nesta quarta-feira que estava “horrorizada” com o suposto ataque, que as autoridades de Kiev atribuíram à Rússia e teria deixado pelo menos 17 feridos. “O ataque deixou crianças e mulheres em trabalho de parto sob os escombros de prédios destruídos. Ainda não sabemos o número de vítimas, mas tememos o pior”, disse a chefe da agência da ONU para crianças. Já Tedros Adhanom Ghebreyesus, da Organização Mundial da Saúde (OMS), condenou a situação. “Estamos cientes dos relatos preocupantes de um ataque a uma maternidade em Mariupol. A OMS condena inequivocamente qualquer ato de violência contra instalações sanitárias e seus pacientes”, disse no Twitter o diretor-geral da organização.


19h50 – Zelensky volta a pedir que Otan feche o céu sobre a Ucrânia: ‘Milhões podem morrer’

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que milhões de pessoas podem morrer se os países ocidentais não fornecerem apoio aéreo contra a invasão russa e “fecharem” os céus da Ucrânia. “No futuro será tarde demais. Acreditem, se continuar assim, verão como eles vão acabar fechando o céu, mas vamos perder milhões de pessoas”, disse Zelensky em entrevista transmitida hoje pela emissora britânica “Sky News”. “Não podemos parar isso sozinhos, isso só acontecerá se o mundo se unir em torno da Ucrânia Ontem o mundo não fez nada, sinto muito, mas é verdade”, disse Zelensky. Os aliados da Otan deveriam “pedir desculpas” aos ucranianos que perderam seus filhos por “não terem feito isso ontem, há uma semana”, afirmou.

*Com informações da EFE


19h30 – Mais de 1.200 civis morrem em Mariupol, Ucrânia, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, em nove dias de cerco russo

Um total de 1.207 civis de Mariupol morreram desde o início do cerco russo a esta estratégica cidade portuária da Ucrânia, há nove dias, informou nesta quarta,9, a prefeitura da cidade. “Nove dias. Nove dias de bloqueio de Mariupol (…) Nove dias – 1.207 civis mortos. Nove dias de genocídio da população civil”, informou a prefeitura em mensagem postada no Telegram, junto a um vídeo com declarações do prefeito horas depois de bombardeios russos destruírem um hospital pediátrico da cidade.

*Com informações da AFP


19h10 – Delegação russa não irá conceder em nenhum ponto de negociação

A delegação russa que negocia com os ucranianos não irá conceder em nenhum ponto, afirmou o negociador Leonid Slutsky a um canal de televisão, segundo a agência de notícia russa RIA. Até agora, três rodadas de conversa em Belarus tiveram pouco sucesso; um encontro entre os ministros das Relações Exteriores da Rússia e da Ucrânia devem se encontrar na quinta, 10, na Turquia.


18h50 – Rússia admitiu uso de bomba termobárica, diz Ministério da Defesa Britânico

O Ministério da Defesa do Reino Unido afirmou nesta quarta, 9, que a Rússia admitiu ter usado o sistema de armamento TOS-1A, que conta com bombas termobáricas, que causam efeitos incendiários e explosivos. Passeio de inverno bombas termobáricas causam efeitos incendiários e de explosão maiores. A suspeita já havia surgido na última semana, mas nenhum órgão oficial havia confirmado até agora.


18h30 – McDonald’s diz que fechamento de restaurantes na Rússia custará US$ 50 milhões por mês

A rede de restaurantes fast-food McDonald’s afirmou que o fechamento de seus restaurantes na Rússia custará até US$ 50 milhões (R$ 250 milhões) por mês. O McDonald’s administra 84% de suas 847 unidades na Rússia e continuará pagando todos os seus 62 mil funcionários administrativos e de restaurante, além de aluguéis e cadeia de suprimentos, disse o diretor financeiro da companhia, Kevin Ozan. Leia mais.


18h03 – Agência nuclear perde contato com equipamentos de monitoramento da usina de Zaporizhzhya

A agência de energia atômica da ONU informou nesta quarta-feira, 9, que perdeu o acesso à transmissão dos dados da usina nuclear de Zaporizhzhya, na Ucrânia. O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica, Rafael Grossi, disse estar preocupado com a interrupção repentina de tais fluxos de dados para a sede da AIEA em Viena. Segundo ele, grandes quantidades de material nuclear estão presentes na forma de combustível usado ou fresco e outros tipos. Segundo a AIEA, um transformador da usina de Zaporizizhia foi desligado e parte do sistema de resfriamento foi danificado após a troca de fogo entre forças ucranianas e russas em 4 de março.


17h24 –  ‘Guerra só pode ser encerrada por meio de uma conversa direta com Vladimir Putin’, diz Zelensky

Em entrevista ao jornal alemão Bild, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que a guerra só pode ser encerrada por meio de um diálogo com Vladimir Putin. “Esta é a única saída para esta situação”, declarou. Zelensky disse estar pronto para realizar negociações e assumir compromissos, contudo, é necessário que Putin também esteja preparado para assumir responsabilidades. “Estou pronto para tomar certas medidas para acabar com a guerra. Mas eles não podem ser uma traição às pessoas”.


17h05 – Jair Bolsonaro faz live com brasileiros resgatados na Ucrânia 

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou nas redes sociais um vídeo em que está falando com os brasileiros que foram resgatados na Ucrânia. No post, ele informou que as pessoas a bordo são: 42 brasileiros, 20 ucranianos, 05 argentinos, 01 colombiano, 14 crianças, 8 cachorros e 2 gatos. Bolsonaro também compartilhou outro vídeo onde mostra as pessoas embarcando na aeronave e informou que no voo de ida “foram transportadas 11,6 toneladas de doação à Ucrânia, que incluem cerca de 9 toneladas de alimentos de alto teor nutritivo; 50 purificadores de água, com capacidade por volta de 300 mil litros de água por dia; meia tonelada de insumos essenciais e itens médicos’.


17h00 – Pentágono rejeita enviar caças MiG-29 da Polônia para a Ucrânia; bombardeiros nucleares farão patrulha

Os Estados Unidos rejeitaram nesta quarta, 9, a oferta feita pela Polônia de transferir seus caças MiG-29 para a Ucrânia, como forma de fortalecer a força aérea do país contra a invasão russa. Na terça, 8, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, afirmou que a medida não era sustentável, apesar do pedido do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky. No entanto, o comando militar do país norte-americano informou que manterá as patrulhas de quatro bombardeiros nucleares B-52 pelo Leste Europeu, como forma de dissuasão.


16h41 – Secretário de Estado do Vaticano condena o ataque russo a hospital infantil em Mariupul

Em resposta ao ataque russo contra um hospital infantil na cidade de Mariupul, na Ucrânia, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, classificou a ação como inaceitável. A informação foi confirmada por agências de notícias internacionais. A fala de Parolin foi dita durante uma coletiva de imprena realizada em Roma. Além de condenar o ataque da Rússia, Parolin apelou novamente para um acordo de cessar-fogo entre as nações e pediu para que os corredores humanitários permaneçam seguros para que os civis deixem as cidades. Ao menos 17 pessoas ficaram feridas durante o ataque.


16h36 – Rússia diz que destruiu 974 tanques e veículos blindados ucranianos, segundo agência

Segundo a agência de notícias Tass, as forças armadas russas já destruíram 974 tanques ucranianos e outros veículos blindados desde o início da invasão que já chega ao seu 14º dia. De acordo com a Tass, o Ministério da Defesa da Rússia disse que abateu 97 drones.


15h50 – Reino Unido pede que G7 proíba importação de petróleo russo

Reino Unido pediu nesta quarta-feira, 9, que todos os países do G7 coloquem fim a importação de petróleo e gás russos. “Em nossa resposta” à invasão russa da Ucrânia, “devemos redobrar nossas sanções”, disse a ministra de Relações Exteriores britânica, Liz Truss, durante uma visita a Washington. Segundo a ministra, isso incluiria a desconexão “total” dos bancos russos do sistema internacional Swift. Nesta terça-feira, 9, o Reino Unido anunciou que vai zerar a compra de petróleo da Rússia até o fim deste ano. O país avalia que o prazo de nove meses será “mais do que o suficiente” para que as indústrias e Jogo de Sobrevivente de Gumball consumidores britânicos tenham acesso a formas alternativas de petróleo. Os Estados Unidos também suspenderam a importação em retaliação à invasão russa. Em pronunciamento, o presidente norte-americano Joe Biden afirmou que a medida tem como objetivo “aumentar o dano sobre Vladimir Putin”.


15h34 – EUA enviam baterias antiaéreas para a Polônia 

Os Estados Unidos enviaram duas novas baterias antiaéreas Patriot para a Polônia, em linha com seu compromisso de defender o território dos países da Otan. A informação foi dada pelo Pentágono nesta quarta-feira, 9. Estacionadas na Alemanha, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, as baterias foram reposicionadas após um pedido do governo polonês. Um funcionário ouvido pela AFP disse que o pedido foi feito em meio a temores de que um míssil da Rússia pudesse cruzar a fronteira da Polônia durante a ofensiva militar russa na Ucrânia. Os Patriots são equipamentos de mísseis com capacidade de destruir mísseis balísticos, aeronaves e até mísseis de cruzeiro.


15h20 – Ucrânia chama atenção para falta de energia em Chernobyl; agência nuclear diz que não há risco

A operadora ucraniana Ukrenegro informou nesta quarta-feira, 9, que o fornecimento de energia da usina de Chernobyl foi cortado devido às ações militares dos ocupantes russos. Segundo eles, não há possibilidade de restabelecer as linhas devido à ofensiva que acontece na região. O ministro ucraniano das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, informou por meio do Twitter que os “geradores a diesel de reserva têm capacidade de 48 horas para alimentar a central nuclear”. Em resposta ao alerta dado pela operadora Ukrenegro e pelas autoridades ucranianas, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), publicou um comunicado em que disse que o ocorrido “não tem grande impacto sobre a segurança”. Saiba mais.


15h11 – Heineken suspende produção e venda de cerveja na Rússia

A Heineken anunciou nesta quarta-feira, 9, que vai suspender a produção e venda de cerveja na Rússia em resposta à escalada da guerra na Ucrânia. Em nota assinada pelo CEO Dolf van den Brink, a marca holandesa classificou a ação militar como “não provocada e completamente injustificável” e afirmou que a medida terá caráter imediato. “A Heineken não vai mais aceitar nenhum benefício financeiro derivado das nossas operações russas.” Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano cervejaria já havia anunciado na semana passada a paralisação de investimentos Atirador de Bolhas Arco-íris exportações ao país de Vladimir Putin. Apesar da suspensão das operações, a empresa afirmou que vai continuar dando suporte aos funcionários russos. A decisão da cervejaria holandesa engrossa o movimento de debandada de marcas ocidentais do mercado russo em protesto à invasão da Ucrânia, como McDonald’s, Coca-Cola e Unilever.


14h22 – Kremlin diz que Putin e Olaf Scholz, da Alemanha, conversaram sobre ‘esforços diplomáticos’ na Ucrânia

Segundo o Kremlin, o presidente russo, Vladimir Putin, e o primeiro-ministro alemão, Olaf Scholz, conversaram por telefone nesta quarta-feira, 9, sobre os ‘esforços diplomáticos’ em relação ao conflito na Ucrânia e os corredores humanitários. Os líderes discutiram “opções para esforços políticos e diplomáticos” e Putin “forneceu informações sobre medidas tomadas para estabelecer corredores humanitários e evacuar civis de zonas de combate”. Rússia e Ucrânia entraram em um acordo para respeitar um cessar fogo que permita a evacuação de civis de várias zonas arrasadas pelos bombardeios.


14h03 – Turquia reunirá Rússia e Ucrânia em mais uma rodada de negociações nesta quinta

A Turquia receberá nesta quinta-feira, 10, os ministros das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, e da Ucrânia, Dmytro Kuleba, para mais Corrida de Escadas 3D rodada de negociações. O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que multiplicou os cheats em jogos de slot de mediação desde o início da crise, afirmou que “a Turquia pode conversar com a Rússia e a Ucrânia ao mesmo tempo”. “Estamos trabalhando para evitar que a crise se transforme em tragédia”, declarou. Os dois países concordaram com um cessar-fogo para evacuar civis. Nesta quarta-feira, Kuleba garantiu que faria de tudo para que as “conversas fossem as mais efetivas possíveis”, mas admitiu ter expectativas limitadas. “Tudo vai depender das instruções que Lavrov recebeu antes dessas negociações”, completou. Ambos os ministros devem chegar à Turquia hoje. No entanto, o clima corre o risco de ficar tenso.


13h34 – Ministério de Defesa da Rússia desmente Putin e diz que a Rússia enviou recrutas para a Ucrânia

Apesar de Vladimir Putin dizer desde o começo da invasão à Ucrânia que apenas soldados profissionais foram enviados para a guerra, o Ministério de Defesa da Rússia informou nesta quarta-feira, 9, Quebra-cabeça Jewel Abyss Match3 soldados foram recrutados pelo exército. “Infelizmente descobrimos diversos fatos sobre a presença de recrutas em unidades que fazem parte da operação militar especial na Ucrânia”, afirmou o ministério. Vladimir Putin sempre defendeu que não havia jovens conscritos – quem cumpre serviço militar obrigatório e não escolherem participar da invasão – no conflito. Esse discurso vinha sendo fielmente defendido pelo presidente ucraniano, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, pois não pegaria bem diante da opinião pública russa, que não gostaria que seus filhos fossem mandados para morrer na “operação especial” do Kremlin.


12h53 – Rússia diz que os países que enviarem armas e ‘mercenários’ à Ucrânia terão que ‘assumir consequências’

A Rússia afirma que os países ocidentais que decidirem enviar armas e ‘merecenários’ à Ucrânia durante o conflito no Leste Europeu vão responder por isso e “assumir as consequências”. Segundo Zakharova, embaixadas de diferentes países em Moscou foram informadas do posicionamento diante da questão. Ela ainda disse que os embaixadores do país já haviam comunicado essa posição aos respectivos países onde representam o Kremlin. Entretanto, a porta-voz não elucidou quais medidas podem ser tomadas pela Rússia como forma de represália. Saiba mais.


12h39 –  Tropas russas atacam hospital infantil em Mariupol; crianças estão sob os destroços

Segundo as autoridades ucranianas, tropas russas atacaram um hospital infantil em Mariupoul. O local ficou completamente destruído e, por meio das redes sociais, informaram que pessoas e crianças estão sob os destroços.  As autoridades classificaram o ataque como uma atrocidade e voltaram a pedir pelo fechamento do espaço aéreo. “Por quanto tempo mais o mundo será um cúmplice ignorando o terror? Feche o céu agora mesmo! Pare com os assassinatos! Você tem poder, mas parece estar perdendo a humanidade”.

11h55 –  Rússia interrompe evacuação de civis em Bucha, dizem autoridades

Autoridades da Ucrânia afirmam que tropas da Rússia bloquearam parcialmente a passagem de 50 ônibus que transportavam civis na região de Kiev, capital ucraniana. Segundo a mídia local, a denúncia é feita pelo Conselho da Cidade, localizada ao Norte do país. Anteriormente, o prefeito da vizinha Irpin disse que a evacuação de sua cidade está em andamento.


11h38 – Reino Unido diz que Rússia não fez “avanços significativos” em Kiev

O Ministério da Defesa do Reino Unido afirmou que o exército de Moscou “não obteve avanços significativos” em Kiev, capital da Ucrânia, embora várias cidades ucranianas continuem sofrendo “fortes bombardeios”. “A luta no noroeste de Kiev continua e as forças russas não obtiveram avanços significativos. As cidades de Kharkiv, Chernigov, Sumi e Mariupol continuam rodeadas pelas forças russas e seguem sofrendo fortes bombardeios”, informou, com base nos últimos dados do serviço de inteligência. Segundo a EFE, o relatório indica que “as defesas aéreas ucranianas parecem ter conseguido um êxito considerável contra os aviões de combate modernos da Rússia”, o que “provavelmente impediu Moscou de tomar o controle do espaço aéreo”.


11h17 – Em Mariupol, mortos por conflitos com a Rússia são enterrados em vala comum

Autoridades de Mariupol, cidade portuária no sul da Ucrânia, estão enterrando seus mortos em uma vala comum. A decisão está sendo tomada em razão dos necrotérios lotados e de muitos cadáveres não recolhidos em casas, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. Segundo a Associated Press, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, uma vala profunda de cerca de 25 metros de comprimento foi aberta em um dos antigos cemitérios da cidade, no coração da cidade. Assistentes sociais trouxeram 30 corpos envoltos em tapetes ou sacos nesta quarta-feira, e 40 na terça-feira.


11h02 – Sirenes de ataque aéreo são acionadas em Kiev em meio ao cessar-fogo

Sirenes de alerta para novos ataques aéreos foram novamente acionadas em Kiev, capital da Ucrânia. Anteriormente, perto das 7h50 (horário de Brasília), os alarmes já haviam sido acionados no município, assim como em Khmelnytsky, Rivne, Volyn, Kirovohrad e Zhytomy. A recomendação é que os cidadãos procurem abrigos imediatamente, até que os alertas verdes – de saída – sejam anunciados. Os novos ataques acontecem em meio ao período de cessar-fogo temporário. Na manhã desta quarta-feira, a Rússia confirmou que manteria o acordo de encerrar os ataques das 9h às 21h (horário local) para permitir a evacuação de civis de zonas de conflito. Mesmo assim, autoridades ucranianas afirmam que os bombardeios continuam.


10h39 – Forças Armadas da Rússia prendem 400 civis ucranianos em Kherson, diz mídia local

Segundo jornal CodyCross Londres Grupo 483 Quebra-cabeça 2 respostas Kiev Independent, as Forças Armadas da Ucrânia acusam a Guarda Nacional Russa de deter ilegalmente mais CodyCross Londres Grupo 483 Quebra-cabeça 2 respostas 400 cidadãos ucranianos em Kherson, cidade do sul do país que vive sob comando russo desde a semana passada. As prisões acontecem em meio a protestos contra a ocupação do município. Em vídeos publicados nas redes sociais é possível ver a revolta da população após militares russos agredirem um manifestante.


10h22 – Ferrari suspende produção para mercado o russo

A Ferrari decidiu suspender sua produção para o mercado russo após a invasão das tropas de Moscou à Ucrânia, disse um porta-voz da fabricante italiana de automóveis de luxo à AFP. A marca também anunciou que vai doar um milhão de euros para refugiados ucranianos. “É nosso modesto papel ao lado das instituições que fornecem ajuda imediata” às populações afetadas, afirmou o CEO da Ferrari, Benedetto Vigna, em nota. Anualmente, a marca vendo menos de 100 carros no país, dos cerca de 11,1 mil entregues em todo mundo em 2021.


10h08 – Mais de 140 mil ucranianos deixaram o país nas últimas 24 horas, diz ONU

Dados mais recentes do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) apontam que mais de 140 mil refugiados deixaram a Ucrânia nas últimas 24 horas. Ao todo, são 2.155.271 exilados desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro, aumento de 143.959 refugiados adicionais na comparação com terça-feira, 8. Segundo a ONU, até quatro milhões de pessoas poderão abandonar o país por causa do conflito.


9h54 – Rússia mantém mais de 400 mil ‘reféns’ em Mariupol, diz chanceler ucraniano

Dmytro Kuleba acusa Moscou de bloquear o corredor humanitário para saída de civis e a chegada de ajuda humanitária à Mariupol, cidade do Leste da Ucrânia. “A Rússia continua mantendo reféns mais de 400 mil pessoas em Mariupol, bloqueia ajuda humanitária e evacuação. O bombardeio indiscriminado continua. Quase 3 mil recém-nascidos carecem de remédios e alimentos”, escreveu nas redes sociais. “Force a Rússia a parar sua guerra bárbara contra civis e bebês”, completou.


9h39 – Ações na Ucrânia seguem ‘estritamente o planejado’, diz Maria Zakharova

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova afirmou que a “operação especial na Ucrânia”, nome dado pelo Kremlin à invasão do país vizinho, está indo conforme o planejado pelo governo de Vladimir Putin. “A operação militar especial das Forças Armadas continua sendo realizada <…> está seguindo estritamente o plano”, disse ela. Mais cedo, Zakharova reforçou que as ações não são direcionadas contra a população civil e disse que os russos não tem como objetivo ocupar o território vizinho ou substituir o governo atual.


9h21 – Sem fornecimento de energia, Usina de Chernobyl coloca ‘toda Europa em perigo’

A operadora ucraniana Ukrenergo informou que o fornecimento de energia da usina de Chernobyl e seus equipamentos de segurança estão “totalmente” cortados após ocupação do local por militares russos. Segundo o operador, a central “está totalmente desconectada da rede de energia elétrica, devido às ações militares dos ocupantes russos. O local não tem mais fornecimento de energia elétrica”, afirma a operadora em sua página do Facebook. O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pediu à comunidade internacional “para exigir urgentemente que a Rússia cesse o fogo e permita que as unidades de reparo restaurem o fornecimento de energia” no local. “Os Círculo de madeira no qual o tecido é esticado durante o bordado a diesel de reserva têm capacidade de 48 horas para alimentar a central nuclear de Chornobyl. Depois disso, os sistemas de resfriamento da instalação de armazenamento de combustível nuclear usado serão interrompidos, tornando iminentes os vazamentos de radiação. A guerra bárbara de Putin coloca toda a Europa em perigo”, escreveu no Twitter.


9h03 – China envia US$ 790 mil em ajuda humanitária para Ucrânia

A China enviou US$ 790 mil em ajuda humanitária para a Ucrânia nesta quarta-feira, 9. O porta-voz diplomático chinês, Zhao Lijian, disse à imprensa que a ajuda, enviada pela Cruz Vermelhafoi avaliada em 5 milhões de iuanes. A remessa inclui alimentos e outras itens de uso diário, completou Zhao. Embora o presidente chinês, Xi Jinping, tenha pedido “contenção máxima” na Ucrânia e enviado ajuda ao país, Pequim se recusou a usar a palavra “invasão” desde a intervenção militar em 24 de fevereiro e atribui o conflito ao Ocidente e à “expansão” da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

*Com AFP


8h48 – Heineken deixará de produzir e vender cerveja na Rússia: ‘Resposta à contínua escalada da guerra’

A cervejaria Heineken anunciou que vai deixar de produzir e vender sua cerveja na Rússia. “Em resposta à contínua escalada da guerra, a Heineken vai interromper a produção, a promoção e a venda de sua marca na Rússia”, disse o CEO do grupo, Dolf van den Brink, no comunicado divulgado nesta quarta, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. Segundo a AFP, atualmente, a empresa holandesa possui 1.800 funcionários em território russo, onde diz ser a terceira maior cervejaria do país e fabrica as marcas Zhigulevskoe e Oxota para o mercado local.


8h31 – Rússia diz não representar ameaça à Otan: ‘Não tenha medo’

Ainda em discurso nesta quarta-feira, 9, Maria Zakharova também afirmou que a Rússia não representa uma ameaça Bicicleta de terra solta Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). “Não tenha medo. A Rússia nunca ameaçou a aliança e não está ameaçando agora. Ao mesmo tempo, a Rússia não pode deixar de reagir ao curso de confronto da Otan em relação ao nosso país”, disse Zakharova em uma coletiva de imprensa.


8h15 – Zelensky pede decisão rápida sobre caças da Polônia

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu que aos países ocidentais tomem uma decisão “rápida” sobre a proposta polonesa de enviar caças Mig-29 para ajudar a Ucrânia a enfrentar a invasão russa. “Tomem uma decisão o mais rápido possível, enviem seus aviões”, disse o mandatário, em vídeo compartilhado nas redes sociais. A Polônia se propôs a entregar aos Estados Unidos seus aviões de combate para que o país envie à Ucrânia, mas Washington considerou a proposta “inviável”.


8h02 – Rússia vê ‘progressos’ nas negociações com a Ucrânia, diz Maria Zakharova

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, reconheceu que o Kremlin enxerga “progressos” nas negociações para o cessar-fogo definitivo com a Ucrânia. “Paralelamente à operação militar especial também estão acontecendo negociações com a parte ucraniana para acabar o quanto antes com o banho de sangue sem sentido e a resistência das Forças Armadas ucranianas (…) alguns progressos foram feitos”, afirmou. Segundo ela, os objetivos russos com as ações militares “não incluem a ocupação da Ucrânia, a destruição de seu Estado ou derrubar o governo atual”, assim como não tem como foco a população civil.


7h46 – Sirenes de ataque aéreo são acionadas repetidamente em Kiev e outras cidades

Sirenes de alerta para ataques aéreos são acionada em Kiev, capital ucraniana. Segundo mensagem compartilhada em canal das Forças Armadas da Ucrânia, os alertas sonoros começaram a cerca de 3 minutos. “Atenção! Sirenes de ataque aéro em Kiev! Por favor, prossiga para os abrigos!”, diz mensagem. As sirenes também foram acionadas em Khmelnytsky, Rivne, Volyn, Kirovohrad e Zhytomyr.


7h32 – Chanceler da Ucrânia manda recado para a Alemanha: ‘Fez muito pouco’

O Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, mandou um recado para a Alemanha, ao afirmar que o país “fez muito pouco” para ajudar os ucranianos, infirmou o The Kiev Independent. Para o chancelar, a nação alemã deve “abrir os olhos”, fornecer armas à Ucrânia, ajudar a proteger seu céu, obter caças e impor sanções mais duras à Rússia.


7h16 – Rússia não deseja derrubar atual governo ucraniano, diz porta-voz de Moscou

Segundo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, a chamada “operação especial” do país na Ucrânia não visa a ocupação do território Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, destruição de seu Estado ou derrubada do governo de Volodymyr Zelensky. “A tarefa desta [operação especial] não inclui a ocupação da Ucrânia ou a destruição de seu estado ou a derrubada do atual governo. Também não é dirigida contra a população civil”, disse Zakharova em uma coletiva de imprensa em Moscou, informou a agência de notícias Interfax. As ações russas na Ucrânia duram 14 dias e já deixaram ao menos 474 civis mortos, segundo a ONU.


7h03 – União Europeia anuncia novas sanções à Rússia e Belarus

Os 27 países-membros da União Europeia (UE) anunciaram na manhã desta quarta-feira, 9, novas sanções contra a Rússia e Belarus. A decisão de ampliar os bloqueios, especialmente financeiros, acontece 14 dias após a invasão da Ucrânia pelas tropas de Moscou. Entre as novas medidas está a exclusão de três bancos bielorrussos da plataforma financeira internacional Swift, além de sanções dirigidas ao setor marítimo russos, às criptomoedas e aumento da lista negativa de líderes e oligarcas russos.


6h48 – Donetsk diz que a Ucrânia prepara ‘provocações’ para os corredores humanitários

A autoproclamada República Popular de Donetsk afirma que a Ucrânia está preparando ataques para as rotas humanitários, em meio ao cessar-fogo temporário da Rússia. A informação, segundo a agência russa Ria, foi divulgada um canal do Telegram da Defesa local. “O regime de Kiev está preparando outra provocação com corredores humanitários em Mariupol e Volnovakha”, diz a mensagem. O temor é que os caminhados criados para evacuação da população e passagem de alimentos e feridos sejam minados.


6h35 – Ucrânia espera evacuar civis de 10 cidades nesta quarta-feira; cessar-fogo terá 11 horas de duração

A Ucrânia espera conseguir evacuar civis de 10 cidades nesta quarta-feira, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, 9. Segundo a mídia local, as rotas incluem Enerhodar e Mariupol a Zaporizhzhia, de Sumy a Poltava, de Izium a Lozova, de Volnovakha a Pokrovsk, de Vorzel, Borodianka, Bucha, Irpin e Hostomel a Kiev. A Rússia confirmou que respeitará uma trégua das 9h às 21h no horário local (4h às 16h no Brasil) ao redor de seis zonas especialmente afetadas pelos combates nos últimos dias, anunciou a vice-primeira-ministra ucraniana Iryna Vereshchuk.


6h18 – Ministro da Ucrânia pede que a população ‘não espalhe notícias’ sobre recebimento de armas de outros países

O Ministro de Defesa da Ucrânia, Oleksiy Reznikov, pediu que a população não espalhe notícias a respeito do apoio bélico que o país está recebendo. Segundo ele, a pasta tenta captar materiais de diferentes nações e os comentários podem Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano prejudicando, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. “Entendo o desejo das pessoas de compartilhar as boas novas, mas às vezes cria um pano de fundo informativo que afeta negativamente o resultado. Isso pode tornar difícil para o nosso exército ganhar capacidades adicionais que ele simplesmente precisa ganhar. Como resultado, a Ucrânia pode sofrer perdas que poderíamos e deveríamos evitar”, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, diz Reznikov em mensagem compartilhada no Facebook. “O inimigo não precisa saber o que esperar, que seja uma surpresa desagradável para ele.”


6h04 –Ataque russo deixa 10 mortos na cidade Jogo de Vestir para Festa de Severodonestk

Ao menos 10 pessoas morreram após um ataque russo contra a cidade de Severodonetsk, localizada no Leste da Ucrânia. A informação foi confirmada nesta quarta-feira, 9, por um porta-voz do governo de Lugansk. “O exército russo abriu fogo contra casas e outros edifícios”, afirmou Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano Gaïdaï em um texto publicado no Telegram. O comunicado não revela mais detalhes sobre o ataque.


5h49 – Moscou acusa Kiev de planejar ataque contra Donbass antes da invasão Corrida divertida em 3D Ministério da Defesa russo divulgou documentos apreendidos que supostamente comprovaram que o governo da Ucrânia planejava um ataque à Donbass, região administrativa considerada independente pela Rússia. Segundo a agência russa Ria, documentos da Guarda Nacional da Ucrânia confirmam a preparação para a ofensiva, que aconteceria em março, disse o major-general Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa. “Durante a condução de uma operação militar especial, documentos secretos do comando da Guarda Nacional da Ucrânia chegaram às mãos dos militares russos. Esses documentos confirmam a preparação secreta do regime de Kiev de uma operação ofensiva no Donbas em março de 2022. “, afirmou.


5h32 – Rússia perdeu 317 tanques e 49 aeronaves desde o início da invasão, diz Ucrânia

No último balanço divulgado pelo Ministério da Defesa da Ucrânia, dados apontam que a Rússia perdeu 49 aeronaves, 81 helicópteros, 317 tanques, 1.070 veículos militares blindados, 120 canhões, 2 embarcações, sete drones, 482 carros, entre outros, desde o início do confronto entre os país. Segundo as informações, além das perdas nas tropas, o Kremlin também teve baixas nas equipes militares, com mais de 12 mil soldados mortos em 14 dias.


5h15 – Cessar-fogo temporário começa em Enerhodar para evacuar civis

O prefeito da cidade de Enerhodar, localizada a 679,9 km de Kiev, na Ucrânia, anunciou o início do cessar-fogo para a evacuação da população. Segundo Dmytro Orlov, a paralisação temporária dos confrontos com as tropas russas começou às 9h no horário local (4h no Brasil) e abrange também a saída de civis das aldeias vizinhas para Zaporizhzhia, bem como para entregar comida e remédios.


4h – Reino Unido poderá deter aeronaves russas, anuncia secretária de Relações Exteriores

O Reino Unido anunciou uma série de novas sanções que afetam aeronaves russas e exportações de tecnologia espacial e aeronáutica.As medidas, anunciadas pela secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, darão ao governo poderes para deter aeronaves russas no Reino Unido e tornar crime voar ou pousar no país.A medida não se destina a atingir os aviões de propriedade russa, que já estão proibidas de voar para o Reino Unido, e aborda a Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano cinzenta” de jatos particulares registrados em um terceiro país e fretados por russos ricos.


3h45 – KFC e Pizza Hut também deixam a Rússia

A Yum, empresa controladora das marcas KFC (de frango frito) e Pizza Hut anunciou que deixaria de operar na Rússia, paralisando investimentos e interrompendo o funcionamento dos restaurantes. De acordo com a Yum, mil franquias do KFC e 50 do Pizza Hut haviam sido abertas no país, que era importante para bons resultados financeiros, principalmente do fast-food de frango frito.


3h30 – Rússia confirma encontro entre ministros das Relações Exteriores na Turquia

Sergey Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano Dmytro Kuleba, que ocupa o mesmo cargo na Ucrânia, se encontrarão na cidade de Antalya, na Turquia, confirmou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova, segundo a agência estatal russa RIA Novosti, na manhã de quarta-feira, 9. A previsão é que o encontro ocorra na quinta, 10, e o ministro turco Mevlut Cavusoglu deve estar presente.


3h10 – Estado-Maior das Forças Ucranianas diz ainda manter o controle de Kiev e lutas em outras cidades

O Estado-Maior das Forças Armadas Ucranianas fez uma atualizações da situação da guerra nesta quarta, 9. De acordo com os oficiais, Kiev segue sob controle ucraniano, apesar de novos bombardeios à cidade. Outras cidades seguem com lutas, enquanto os russos tentam tomá-las: Polisky e Volyn, no norte e noroeste da Ucrânia, além da cidade de Chernihiv e dos vilarejos de Nizhyn, Ivanytsia e Trostyanets. Também relatou que os russos estariam assumindo posições de atirar próximas a hospitais e guardando equipamentos militares em casas e instalações agrícolas em Chernihiv.


2h50 – Prefeito de Sumy relata uma morte e danos à infraestrutura da cidade

O prefeito da cidade de Sumy, Dmytro Zhyvytskyi, postou em suas redes sociais um relato da situação da cidade. Segundo ele, uma pessoa foi morta, catorze se feriram e outras ainda estão desaparecidas após um bombardeio em Okhtyrka. Parte da infraestrutura civil, como a estação de trem, o prédio do comitê executivo, o museu de história local, a loja de departamentos local e outras instalações comerciais foram destruídas. Sumy também está parcialmente sem energia elétrica, água e com o sistema de esgoto danificado. Zhyvytskyi afirmou, no entanto, que o corredor humanitário aberto para que civis possam deixar o município e ir até Poltava permanecerá aberto nesta quarta.


2h30 – Explosões continuam em Kiev

Os ataques contra alvos em Kiev na madrugada desta quarta continuam e podem ser ouvidos por moradores da capital da Ucrânia. De acordo com Christopher Miller, repórter do site BuzzFeed que está na cidade, as explosões agora ocorrem em Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano espaço de tempo maior – anteriormente, ele havia citado três minutos ininterruptos dos barulhos. Os moradores já foram advertidos a procurarem abrigos.


2h10 – Primeira-Ministra da Suécia rejeita pedido da oposição para aderir à Otan

A primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, rejeitou nesta terça, 8 os pedidos da oposição para considerar a adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), dizendo que um pedido agora à aliança militar liderada pelos EUA desestabilizaria a segurança na Europa. A invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de Rodeio Stampede Tundra, renovou os apelos para a Suécia se juntar à Otan, ao lado da Finlândia, que também permanece fora do bloco. A Rússia não quer que a Finlândia ou a Suécia se juntem à Otan e, no fim do mês passado, fez seu mais recente alerta sobre “sérias consequências político-militares” caso os dois países o fizessem.


1h50 – Guarda Nacional Russa tem controle total de usina nuclear de Zaporizhzhia, diz Moscou

A Guarda Nacional da Rússia, uma das forças militares envolvidas na invasão da Ucrânia, assumiu controle total da Usina Nuclear de Zaporizhzhia, a maior da Europa, segundo veículos da mídia estatal russa. Os veículos citaram um funcionário da Guarda Nacional, que disse que os funcionários da fábrica estão trabalhando “normalmente” e que os membros da Guarda Nacional da Ucrânia que a defendiam entregaram suas armas e foram libertados.


1h30 – Moradores de Kiev voltam Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano ouvir explosões; sirene de alerta soa em Vinnytsia

Novas explosões foram ouvidas em Kiev na madrugada desta quarta, 9. Sirenes de alerta soaram, indicando que os moradores fossem para abrigos. De acordo com Christopher Miller, repórter do site BuzzFeed que está na cidade, as explosões duraram três minutos ininterruptos. As sirenes também soaram em Vinnytsia, cidade que teve o aeroporto atacado na segunda, 7, onde nove soldados ucranianos morreram.


1h10 –Washington teme que Rússia se apodere de estruturas de ‘pesquisa biológica’ na Ucrânia

Os Estados Unidos expressaram nesta terça, 8, temor com a possibilidade das forças russas conseguiram “tomar o controle” de instalações de “pesquisa biológica” na Ucrânia e confisquem material sensível. “A Ucrânia tem instalações de pesquisa biológica, e na realidade agora estamos bastante preocupados com a possibilidade das forças russas tentarem tomar o controle” desses locais, declarou a número três da diplomacia americana, Victoria Nuland, durante uma audiência parlamentar. “Estamos trabalhando com os ucranianos para evitar que estes materiais de pesquisa caiam nas mãos das forças russas”, completou.


0h50 – Ministro ucraniano afirma que estrangeiros que lutarem pelo país receberão cidadania

O vice-ministro do Interior da Ucrânia, Yevhen Yenin, afirmou que pessoas de outros países que se voluntariarem para enfrentar a invasão russa poderão receber a cidadania ucraniana. “Se essas pessoas dentre os cidadãos estrangeiros estiverem interessadas em obter a cidadania ucraniana, nossa legislação prevê essa oportunidade”, disse Yenin na televisão, em comentário citado pela agência de notícias Ukrinform.


0h30 – Agência Internacional de Energia Atômica diz que perdeu contato com mantenedores de Chernobyl

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) relatou nesta quarta, 9, ter perdido contato com os trabalhadores que fazem a manutenção de Chernobyl, para impedir que a radiação da usina nuclear danificada em uma explosão em 1986 se espalhe. Chernobyl foi tomada pela Rússia no início da guerra e, agora, parou de emitir dados sobre a situação de segurança.


09/03 – 0h10 – Presidente da China pede ‘moderação máxima’ em conflito na Ucrânia

O presidente da China, Xi Jinping, se manifestou Meu banco da cidade o conflito na Ucrânia durante conversa por videochamada com o chanceler alemão, Olaf Scholz, e o presidente da França, Emmanuel Macron. Xi pediu “moderação máxima” e disse que a China está aflita por ver as chamas da guerra reacenderem na Europa. De acordo com o chinês, a guerra é “preocupante” e a prioridade deve ser evitar que o conflito aumente ou fique fora de controle, e comentou sobre o impacto das sanções. Até então, Xi não havia falado diretamente sobre a crise, o que foi feito por outros membros de alto escalão do governo chinês, que se disseram contra as sanções e não condenaram a invasão.


23h40 – Líderes da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos ignoraram ligações de Biden, diz jornal dos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, teria sido ignorado por líderes da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos ao tentar ligar para evitar um aumento no preço do petróleo após definir que seu país não importaria mais o produto da Rússia, segundo Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano ‘The Wall Street Journal’. Tanto o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman quanto o xeque dos Emirados Árabes Unidos Mohammed bin Zayed al-Nahyan teriam recusado os pedidos.Os sauditas querem mais apoio para sua intervenção na guerra civil do Iêmen, ajuda com seu próprio programa nuclear civil e imunidade legal para o príncipe Mohammed nos EUA.O príncipe herdeiro enfrenta processos nos Estados Unidos, incluindo o assassinato em Fall.io - Corrida de Dino do colunista do Washington Post e crítico saudita Jamal Khashoggi.Enquanto isso, os Emirados Árabes Unidos compartilham as preocupações sauditas sobre a resposta contida dos EUA aos recentes ataques com mísseis de militantes houthis apoiados pelo Irã no Iêmen contra os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita.


23h20 – Invasão continua desacelerando, diz Estado-Maior Forças Armadas da Ucrânia

Em um comunicado divulgado na noite desta terça, as Forças Armadas Ucranianas afirmaram que a invasão russa segue desacelerando. “O inimigo diminuiu o ritmo de sua operação ofensiva, recorrendo principalmente a ataques com mísseis e bombas contra a infraestrutura civil”, disse o Estado-Maior.De acordo com o órgão, a Rússia continua se concentrando em cercar e tomar as cidades de Kiev, Sumy, Kharkiv, Mariupol, Mykolayiv e Chernihiv, e também na criação de um corredor terrestre entre a Rússia e a península anexada da Crimeia.Segundo as forças ucranianas, o exército russo continuou a sofrer perdas significativas e também estava tentando aumentar o fornecimento de combustível estabelecendo uma “rede de oleodutos”.


23h – Rússia suspende venda de moedas estrangeiras por seis meses

A Rússia suspendeu nesta quarta-feira (noite de terça, 8, no Brasil) a venda de moedas estrangeiras por seis meses, anunciou seu Banco Central (BC), enquanto o país enfrenta uma enxurrada de sanções ocidentais pela invasão à Ucrânia. “Os bancos não poderão vender moedas estrangeiras aos cidadãos” entre 9 de março e 9 de setembro, informou o BC russo em um comunicado, acrescentando que os cidadãos poderão trocar suas moedas por rublos durante este período, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. Os titulares de contas em moeda estrangeira em bancos russos não poderão sacar mais do que US$ 10.000 até 9 de setembro. Se quiserem tirar mais dinheiro, terão que fazê-lo em rublos, ao câmbio oficial do dia, de acordo com as novas disposições. A entrega da quantia solicitada em dólares também não será imediata, uma vez que “o encaminhamento dessa soma a uma agência bancária determinada pode demorar dias”, alertou o BC.


22h40 – Agência de classificação Fitch avisa que calote da Rússia é ‘iminente’

A agência de classificação Fitch rebaixou a nota da Rússia novamente nesta terça-feira (8), uma decisão que significa que o risco de um calote da dívida soberana do país é, aos seus olhos, “iminente”. A Fitch, assim como as outras grandes agências de classificação, colocou no início de março a nota Pênalti da Copa do Mundo 2016 dívida de longo prazo da Rússia na categoria de risco de não ser reembolsada. A agência decidiu baixar a classificação novamente de “B” para “C”, devido à evolução de eventos “que minaram a vontade da Rússia de pagar a dívida pública”.


22h20 – Zelensky relata que 52 crianças foram mortas desde o início da invasão russa

Ainda no pronunciamento da noite desta, o presidente ucraniano afirmou que 52 crianças já haviam falecido desde o início da guerra. “Cinquenta crianças ucranianas assassinadas em 13 dias de guerra.Uma hora depois, tornou-se 52. Nunca esqueceremos isso”, afirmou Zelensky. O mandatário ainda acusou os russos de atirarem nas pessoas Jogo de caminhão de carga transitavam pelos corredores humanitários que visam tirar civis das cidades sitiadas de Sumy e Mariupol. “Estão atirando nas rotas de evacuação, bloqueiam a entrega de suprimentos e medicamentos essenciais. O que eles querem? Eles querem que os ucranianos aceitem a ajuda dos invasores. É uma tortura deliberada e sistêmica organizada por seu estado, que é estranho para nós e implacável para todos, até mesmo para seus próprios cidadãos”, criticou. 


22h – Zelensky: ‘Ocidente formará um Plano Marshall para a Ucrânia’

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, realizou um pronunciamento na noite desta terça-feira, 08, através das suas redes sociais e afirmou que o Ocidente irá redigir um ‘Plano Marshall’ para a reconstrução de seu país. O mandatário agradeceu ao primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson por se “comprometer” com a iniciativa e ao Ocidente por apoiar a medida. “Haverá um novo Plano Marshall para a Ucrânia, o Ocidente formará este pacote de apoio. O primeiro-ministro britânico disse isso hoje, um homem de palavra, um amigo sincero da Ucrânia”, anunciou. O Plano Marshall foi redigido ao fim da Segunda Guerra Mundial com o intuito de reconstruir a Europa Ocidental imediatamente após o fim dos conflitos e evitar que uma influência comunista se instaurasse na região. Leia mais.


21h40 – Pepsi suspende investimentos e venda de refrigerantes na Rússia, mas continuará fornecendo alguns produtos

A multinacional americana PepsiCo anunciou nesta terça-feira que suspenderá a venda de Pepsi, 7Up e outros refrigerantes na Rússia, onde também paralisará seus investimentos e publicidade, tudo em resposta à invasão da Ucrânia. Porém, ao contrário de outras empresas, a PepsiCo não interromperá todas as suas atividades na Rússia e continuará fornecendo alguns produtos, incluindo leite, laticínios e alimentos para bebês, itens que considera essenciais para muitos russos.


21h15 – Ministério da Defesa britânico relata violações do cessar-fogo pelo terceiro dia seguido

O Ministério da Defesa do Reino Unido relatou que a Rússia violou o cessar-fogo acordado para as cidades de Sumy e Mariupol, que estão cercadas. De acordo com o órgão, bombardeios e tiroteios continuaram, mas algumas pessoas conseguiram fugir através dos corredores humanitários. A Rússia também teria mantido as cidades com pouca água, energia elétrica e comida.


20h30 – Pentágono critica decisão da Polônia de transferir caças MiG-29: ‘Não é sustentável’

O Pentágono, o departamento de defesa dos Estados Unidos, se manifestou contra a decisão da Polônia de enviar todos os seus caças MiG-29 para serem usados pela Ucrânia no combate à Rússia. Em um comunicado assinado pelo porta-voz John Kirby, o órgão afirma que a decisão de tirar as aeronaves da base onde estão, na Alemanha, “não é sustentável” por questões logísticas e levanta preocupações para todos os países da Otan. No entanto, reconhece que a decisão é do governo polonês.


19h55 – Coca Cola anuncia interrupção das atividades na Rússia

A empresa de bebidas ressaltou em uma breve publicação em seu site que interromperá as suas atividades no país governado por Vladimir Putin. “Nossos corações estão com as pessoas que estão sofrendo os efeitos inconcebíveis desses trágicos eventos na Ucrânia” afirmou a companhia, que continuará a monitorar a situação e conforme as “circunstâncias evoluem.”


19h35 – Zelensky pede ao Reino Unido para agravar sanções econômicas à Rússia

Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, realizou um pedido nesta terça-feira, 08, ao Reino Unido durante fala ao Parlamento britânico. O mandatário afirmou que existem outras Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano de enfrentar o “estado terrorista” da Rússia e pediu para que as sanções econômicas aumentem contra o Kremlin. “Por favor, aumentem a pressão das sanções contra aquele país (Rússia) e por favor reconheçam aquele país como um estado terrorista, e por favor assegurem que nossos céus ucranianos são seguros… Por favor, assegurem-se que estão fazendo tudo que precisa ser feito”, afirmou o líder ucraniano.


19h10 – Unilever suspende importações e exportações ao território russo

Uma das maiores companhias do mundo de consumo na Europa, a Unilever anunciou nesta terça-feira, 08, que irá interromper as importações e exportações à Rússia. Além da interrupção operacional, gastos com publicidade também serão suspensos. A marca ressaltou que produtos alimentícios e de higiene que são produzidos em solo russo continuarão a ser comercializados, porém, sem a obtenção de lucros.


18h51 – Em carta aberta, primeira-dama da Ucrânia faz testemunho sobre a guerra

A primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska, publicou  seu Instagram uma carta aberta à Mídia Global. Segundo a publicação, o relato serve como uma resposta a todos os meios de comunicação que entraram em contato com ela pedindo por entrevistas e também é o seu testemunho sobre como estão as coisas na Ucrânia. Na carta, ela faz uma linha do tempo desde o dia 24 de fevereiro quando a Rússia invadiu a Ucrânia. “Todos nós acordamos com o anúncio de uma invasão russa. Tanques cruzaram a fronteira ucraniana, aviões entraram em nosso espaço aéreo, lançadores de mísseis cercaram nossas cidades”, declarou Zelenska. Saiba mais.


18h46 – Polônia anuncia que enviará ‘gratuitamente’ todos seus caças MIG-29 a Ucrânia

Jacek Czaputowicz, ministro das Relações Exteriores da Polônia, afirmou que enviará “imediatamente e gratuitamente” todos os seus caças MIG-29 para a Ucrânia. Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano nota da pasta afirmou que “a Polônia solicita aos Estados Unidos que nos forneçam aeronaves usadas com capacidades operacionais correspondentes. A Polônia está pronta para estabelecer imediatamente as condições de compra dos aviões”, informou. Segundo o político polonês, as aeronaves de combate serão enviadas à base aérea norte-americana em Miesenbach, na Alemanha. De lá, ficará a cargo do governo de Joe Biden repassar os caças.


18h26 – Dólar e Bolsa fecham em queda com novas sanções do Ocidente ao petróleo da Rússia

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro fecharam esta terça-feira, 8, em queda com os anúncios do Ocidente da interrupção da compra de petróleo e gás natural produzidos na Rússia. O dólar encerrou com recuo de 0,5%, cotado a R$ 5,053. O câmbio chegou a bater a máxima de R$ 5,101, enquanto a mínima não passou de R$ 5,045. Em meio ao clima misto dos principais mercados globais, o Ibovespa, referência da Bolsa de Valores brasileira, caiu 0,35%, aos 111.203 pontos. O barril do tipo Brent chegou a bater a máxima de US$ 133 durante a manhã, mas perdeu força e passou para a casa de US$ 128, com alta de 4%. Os Estados Unidos anunciaram embargo imediato às commodities energéticas do Kremlin, enquanto o Reino Unido informou que pretende zerar a compra de petróleo até o fim do ano. Em paralelo, a União Europeia afirmou que vai reduzir em dois terços a compra de gás natural de Moscou ainda em 2022. Todas as medidas seguem o aperto das sanções econômicas impostas aos russos pela invasão da Ucrânia, há duas semanas. Saiba mais.


17h25 – Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano trégua humanitária está prevista para quarta-feira

Segundo a agência de notícias Tass, o Exército russo anunciou uma nova trégua humanitária para evacuação de civis na quarta-feira, a partir das 10h da manhã (horário de Moscou). “A Rússia anunciou um regime de cessar-fogo a partir de 9 de março, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, às 10h, hora de Moscou, e está pronta para criar corredores humanitários”, informou a célula no comando destes temas no governo russo. A proposta vai ser transmitida às autoridades ucranianas que tem até a meia-noite para confirmar o local onde ficarão os corredores humanitários e a Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano de que hora poderão funcionar.


17h13 – Zelensky agradece Biden por suspender importação de petróleo e gás da Rússia

Volodymyr Zelensky usou o Twitter para agradecer o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, por ter anunciado a suspensão da importação do petróleo e gás da Rússia. Por meio de um tuíte, ele declarou: “Grato pela liderança dos EUA e do Joe Biden pessoal em atacar o coração da máquina de guerra de Putin e proibir petróleo, gás e carvão do mercado dos EUA. Incentive outros países e líderes a seguirem”.


17h05 – Putin limita comércio de matérias-primas em resposta ao boicote do petróleo russo

Vladimir Putin reagiu ao pronunciamento de Joe Biden de suspender a importação de petróleo e gás russo, e assinou um decreto que impossibilita a Rússia de comprar ou vender produtos e matérias-primas. A nova sanção ainda não está em vigor, porém tem validade até o final de 2022. A lista de insumos que não vão poder circular e dos países que serão afetados, deve ser divulgada em até dois dias, segundo o Kremlin.


16h17 – Zelensky diz que Ucrânia ‘lutará até o fim’ e pede que países ocidentais aumentem sanções 

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, prometeu “lutar até o fim” contra a Rússia em um discurso virtual nesta terça-feira. 8, ao Parlamento britânico. O chefe de Estado fez referência ao pronunciamento do primeiro-ministro Winston Churchill na Segunda Guerra Mundial, em 1940. “Não nos renderemos e não perderemos. Lutaremos até o fim, no mar, no ar. Continuaremos lutando por nossa terra, custe o que custar, nas florestas, nos campos, nas costas, nas ruas”, disse Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. O presidente ucraniano afirmou ainda que seu país está imerso em “uma guerra que não provocamos, que não queríamos”.


15h32 – McDonald’s fecha seus 850 restaurantes na Rússia

A rede de fast food McDonald ‘s anunciou que vai fechar temporariamente os seus 850 restaurantes na Rússia. A medida é uma sanção contra Vladimir Putin e a invasão à Ucrânia que já chega a seu 13º dia. Em comunicado, o CEO Chris Kempczinski declarou que: “a empresa se juntou ao mundo condenando a agressão e a violência e orando pela paz” e informou que os 62 mil funcionários vão continuar recebendo salário. Saiba Mais.


15h05 – Guerra da Ucrânia deixou 474 civis mortos e 861 feridos, afirma ONU

O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos informou nesta terça-feira, 8, que notificou 474 civis mortos e 861 feridos durante a guerra da Ucrânia. Os dados Duo Esmagador que 44 menores de idade sofreram algum tipo de lesão. A organização ressaltou que a quantidade de pessoas que foram mortas ou feridas é, certamente, mais alta, especialmente nos territórios controlados por Kiev que estão sob Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. O gabinete ainda informou que as informações chegam com dificuldades, principalmente em cidades como Mariupol, Volnovaja e Izium, onde os combates são mais intensos e se fala em centenas de vítimas.


14h50 – Reino Unido anuncia que deixará de importar petróleo russo até o final de 2022

O ministro de Negócios e Energia, Kwasi Kwarteng, anunciou que petróleos e derivados russos Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano mais serão importados até o final deste ano. “Esta transição dará ao mercado, empresas e cadeias de abastecimento tempo mais do que suficiente para substituir as importações russas, que representam 8% da demanda do Reino Unido”, afirmou o político. As sanções ocorrem em decorrência da invasão do Kremlin ao território ucraniano.  Em nota, Downing Street disse que o prazo de nove meses será “mais do que o suficiente” para que as indústrias e os consumidores britânicos tenham acesso a formas alternativas de petróleo. A Rússia corresponde a 8% da demanda total de petróleo do Reino Unido, segundo dados do governo. “Em um mercado global competitivo de petróleo e derivados, a demanda pode ser atendida por fornecedores alternativos. Trabalharemos em estreita colaboração com parceiros internacionais para garantir suprimentos alternativos de produtos combustíveis”, informou, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano a Holanda, a Arábia Saudita e os EUA como “fornecedores confiáveis”. Saiba mais.


14h35 – Ucrânia afirma que Exército russo bombardeou corredor humanitário

O Ministério de Relações Exteriores da Ucrânia acusou a Rússia nesta terça-feira, 08, de bombardear corredores humanitários para a fuga de cidadãos em Mauripol. O governo ucraniano informou, que bombas foram direcionadas e jogadas contra ônibus. Estes, por sua vez, encontravam-se com refugiados no seu interior. Não há o número oficial de quantos veículos foram atingidos. Leia mais.


14h13 – Explosão em uma mina terrestre deixa três mortos e três crianças feridas em Chernihiv

Três adultos morreram e três crianças ficaram feridas após a explosão de uma mina terrestre na cidade de Chernihiv, ao norte de Kiev. “O uso deste tipo de arma contra a população civil é um crime contra a humanidade”, disse a encarregada de Direitos Humanos do Parlamento ucraniano. Esta é a primeira vez desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro, que um responsável ucraniano fala oficialmente de mortes causadas por este tipo de armamento. De acordo com testemunhas, a bombas estavam escondidas na calçada sob palha e escombros.


13h42 – Biden suspende importação de petróleo da Rússia: ‘Uma medida para aumentar o dano sobre Putin’

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou durante um pronunciamento que vai suspender a importação do petróleo e gás da Rússia em retaliação à invasão à Ucrânia que já chega ao seu 13º dia. “Não é mais aceitável ver o petróleo russo nos portos dos EUA. Estamos dando um golpe nos russos”, disse Biden. Ele também informou que essa é uma medida para aumentar o dano sobre Vladimir Putin. “É necessário manter e elevar a pressão sobre Putin a sua máquina de guerra”, declarou. Durante sua fala, Biden também disse que os americanos estão apoiando os ucraniano e que estão enviando mais ajuda humanitária. Saiba mais.


13h14 – Reino Unido segue passos dos EUA e vai proibir importação de petróleo russo, afirma jornal norte-americano Politico

O Reino Unido deve seguir o caminho do presidente norte-americano, Joe Biden, e proibir a importação de petróleo russo. A informação foi dada pelo jornal norte-americano Politico que também informou que haverá um intervalo de meses entre a proibição e a execução. De acordo com o jornal, a importação de gás vai permanecer, entretanto, Vestir Gatos Coração sanção contra isso também está em discussão.


12h08 – Rússia ameaça cortar fornecimento de gás natural para a Europa

Como forma de reação às sanções sofridas pela invasão à Ucrânia, a Rússia ameaça cortar o fornecimento de gás natural para a Europa. “Em conexão com as acusações infundadas contra a Rússia … e a imposição da proibição do Nord Stream 2, temos todo o direito de tomar uma decisão espelhada e impor um embargo ao bombeamento de gás através do gasoduto Nord Stream 1”, disse Alexander Novak, vice-primeiro-ministro russo. Estima-se que 40% do gás natural e 33% do petróleo consumidos pela Europa vêm da Rússia, o que fez com que o setor energético fosse poupado nas sanções iniciais. Entretanto, a possibilidade de aplicação de sanções na área não foi descartada pelos países do Ocidente. Saiba mais.


11h49 – ‘Ucrânia está à beira da vitória. Vamos aguentar’, diz Defesa ucraniana 

Nas redes sociais, o Ministério da Defesa da Ucrânia afirmou que o país está “à beira da vitória”. Em publicação no Twitter, a pasta compartilhou um vídeo do país e disse que o “mundo inteiro está com inveja e maravilhado com a unidade e a força dos ucranianos”. “Afinal, estamos até o fim! Unidos por um objetivo: mostrar o nosso lugar ao inimigo. Deslocamos, destruímos, batemos, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano. A Ucrânia está à beira da vitória. Vamos aguentar”, diz a mensagem.


11h37 – Chanceler ucraniano agradece ‘postura intransigente’ da Holanda sobre a Rússia

Chanceler ucraniano conversou com o primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, sobre a situação humanitária do país, em meio à guerra. “Falamos sobre a situação humanitária na Ucrânia, a baixa dentre civis, a evacuação e a entrega de ajuda humanitária. Agradeci à Holanda por sua postura intransigente sobre a pressão das sanções sobre a Rússia e apoio à adesão da Ucrânia à União Europeia”, escreveu.


11h24 – Joe Biden vai proibir importação de petróleo russo, dizem agências

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve anunciar novas sanções à Rússia nesta terça-feira, entre elas a proibição da importação de petróleo do país. A informação foi divulgada pelo The New York Times e por agências internacionais, que citam como fonte um funcionário do alto escalão da Casa Branca. Segundo a gestão Biden, o democrata anunciará “ações para continuar responsabilizando a Rússia por sua guerra não provocada e injustificada contra a Ucrânia”.


11h10 – Zelensky pede expansão dos corredores humanitários e envio de aviões do Ocidente; criança morre de desidratação

O presidente Volodymyr Zelensky pediu a expansão dos corredores humanitários para civis ucranianos e maior apoio da Cruz Vermelha. Em discurso nesta terça-feira, ele afirmou que uma criança morreu de desidratação em Mariupol e implorou que os países ocidentais forneçam apoio aéreo. Segundo a Associated Press, Zelensky também acusou a Cruz Vermelha Internacional de “proibir o uso de seu emblema em nossos carros” para evacuação, mas não deu maiores detalhes sobre o assunto.


10h53 – Secretário da Otan diz que tropas russas atacam civis em corredores humanitários

Secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou que as Forças Armadas da Rússia podem estar atacando civis que tentam sair da Ucrânia. “Há relatos muito credíveis de civis sendo atacados enquanto tentam evacuar. Alvejar civis é um crime de guerra e é totalmente inaceitável”, afirmou. “Precisamos de corredores humanitários reais que sejam totalmente respeitados”, completou. Mais cedo, o governo ucraniano acusou as tropas russas de não respeitarem o corredor humanitário em Mariupol. “O inimigo executou um ataque exatamente na direção do corredor humanitário”, denunciou o Ministério da Defesa.


10h38 – ONU confirma morte de 474 civis na Ucrânia em 13 dias

Escritório de Direitos Humanos da ONU disse ter confirmado 474 mortes de civis na Ucrânia. Segundo a Associated Press, o número de feridos desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro, chega a 861. O órgão da ONU reconhece, no entanto, que os números reais são muito maiores.


10h23 – Corte internacional começa julgamento contra Rússia

Na última segunda-feira, 7, ocorreu a primeira audiência da Corte Internacional de Justiça sobre o pedido da Ucrânia para que a Rússia encerre a guerra. Entretanto, os russos não compareceram. A ausência foi criticada tanto pela Ucrânia quanto pelo juiz presidente do tribunal com sede em Haia, na Holanda. A Ucrânia diz que a invasão não tem base legal e pediu que a Rússia apresente provas do argumento de Putin de que houve genocídio de russos pelos ucranianos em Donbas. Do lado de fora do tribunal teve manifestação, ucranianos reunidos gritando “Parem Putin! Parem a guerra! Parem o genocídio!”. Saiba mais.


10h09 – Rússia diz ter entregue 430 toneladas de ajuda humanitária à Ucrânia

Governo russo afirma que o Ministério de CodyCross Pet Shop Group 347 Quebra-cabeça 5 respostas do país entregou 430 toneladas de ajuda humanitária aos moradores de Donbass, autoproclamada república independente, e à população da Ucrânia. “A carga inclui alimentos, itens essenciais, vestuário e produtos químicos domésticos”, diz comunicado compartilho no perfil oficial do Kremlin.


9h53 – Ucrânia diz que Belarus se prepara para atacar o país, diz mídia local

Segundo o jornal The Kiev Independent, o Estado-Maior da Ucrânia afirma que Belarus pode estar se preparando para enviar tropas à Ucrânia, em um movimento de apoio Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano Moscou. De acordo com a publicação, Belarus reagrupou suas forças e enviou militares para a fronteiro com a Ucrânia, próximo da cidade de Bresta e da vila de Aleksandrovka em Gomel Oblast.


9h31 – Civis ucranianos começam a deixar o país pelo primeiro corredor humanitário

Civis ucranianos embarcaram em um ônibus para fugir da cidade sitiada de Sumy nesta terça-feira, 8, pelo primeiro corredor humanitário, de acordo com a Rússia. Segundo a agência de notícias Interfax, Moscou está abrindo corredores para permitir que as pessoas deixem cinco cidades ucranianas: Sumy, Maripol, Cherhihiv, Kharkiv e a capital Kiev. A Ucrânia afirmou que um comboio separado de 30 ônibus também estava indo para Mariupol para evacuar os moradores do porto do sul, que foi cercado sem comida, água, energia ou calor e submetido a bombardeios ​​por uma semana. Saiba mais.


9h15 – Chanceler da Ucrânia faz apelo a empresas com sede na Rússia: ‘Suspendam operações’

Em mensagem compartilhada no Twitter, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pediu que as empresas éticas e socialmente responsáveis interromparam as operações na Rússia. Para ele, o posicionamento é uma resposta aos ataques do Kremlin aos territórios do país. “A Ucrânia solicita às empresas globais ética e socialmente responsáveis que interrompam ou suspendam as operações com ou na Rússia, recusando-se, portanto, a financiar sua violência, assassinatos e crimes contra a humanidade”, escreveu, compartilhando uma carta à comunidade empresarial.


8h53 – Shell anuncia que deixará de comprar petróleo e gás da Rússia

A Shell anunciou que vai deixar de comprar petróleo e gás da Rússia e fechará as “estações de serviço, combustíveis de aviação e operações de lubrificantes” no país. Em comunicado, a empresa pediu desculpas por ter adquirido produtos russos após a invasão da Ucrânia. A decisão desta terça-feira tem validade imediata. “A Shell anuncia a intenção de retirar do envolvimento em todos os hidrocarbonetos russos, incluindo petróleo bruto, produtos petrolíferos, gás e gás natural liquefeito de maneira faseada, alinhado com as novas orientações do governo (britânico)”, diz o texto.


8h36 – Russos transformaram crianças ucranianas em ‘filhos de guerra’, diz porta-voz de Kiev

Em mensagem publicada nas redes sociais, o chefe do gabinete da presidência da Ucrânia, Mykhailo Podolak, acusou a Rússia de transformar as crianças do país em “filhos da guerra”. “Os russos transformaram nossos filhos em ‘filhos da guerra’. Aqueles que dormem em porões, estão constantemente sob fogo de foguetes, que veem invasores armados roubando, atirando, saqueando. Meu filho de sete anos vê a guerra como na foto. Agora tudo isso está na memória de nossos filhos”, afirmou.


8h18 – Justiça alemã investiga possíveis crimes de guerra na Ucrânia

A Procuradoria alemã abriu uma investigação sobre possíveis crimes de guerra cometidos pela Rússia na Ucrânia. Segundo a AFP, a apuração pretende “coletar e assegurar todas as provas” para eventuais processos, informou o ministro da Justiça, Marco Buschmann.


8h02 – Ucrânia acusa a Rússia de não respeitar corredor humanitário

O Ministério da Defesa da Ucrânia está acusando a Rússia de não respeitar o corredor humanitário em Mariupol. “O inimigo executou um ataque exatamente na direção do corredor humanitário”, denunciou o ministério em sua página do Facebook. O exército russo “não permitiu que crianças, mulheres e idosos abandonassem a cidade”.


7h45 – Número de refugiados ucranianos ultrapassa 2 milhões, diz ONU

Em 13 dias, a guerra entre Rússia e Ucrânia já fez com que mais de 2 milhões de pessoas fugissem do conflito. A informação foi disponibilizada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). No Twitter, o alto comissário para os refugiados, Filippo Grandi, publicou: “Hoje, a saída de refugiados da Ucrânia alcançou 2 milhões”. Segundo o da organização, 2.011.312 pessoas saíram do país e que a Polônia recebeu mais da metade (1.204.403). A estimativa é que a marca fosse superada até esta quarta-feira, 9. As autoridades da ONU esperam que o fluxo aumente, sobretudo no caso de abertura de corredores humanitários que devem permitir que os civis sejam evacuado em segurança das grandes cidades ucranianas cercadas pelo exército russo.


7h29 – Sobe para 21 o número de mortos por bombardeio em Sumy

Subiu para 21 o número de mortos por bombardeios russos na cidade de Sumy, localizada próximo à fronteira com a Rússia, a cerca de 350km de Kiev, capital da Ucrânia. “Foram encontrados os corpos de 21 pessoas, duas delas crianças”, no local do acidente, disse a Promotoria regional no Facebook, atualizando o balanço anterior de nove mortos.

*Com AFP


7h14 – Embaixada do Brasil anuncia horários de trens para evacuação da Ucrânia

A embaixada do Brasil na Ucrânia anunciou novos horários de trens que farão a evacuação de pessoas da Ucrânia. Saindo de Kiev, capital do país, serão 24 trens ao longo desta terça-feira, 8, com destino a cidades como Odessa, Lviv, Zaporizhia, Kovel e Liam. Já com partida de Kharkiv, serão 11 trens, com destino a Kviv, Dnipro, Lysychnsk e Ternopil, por exemplo. Saindo de Zaporizhia há ainda seis opções e de Dnipro três horários, além de horários adicionais de evacuação internacional.


7h05 – Zelensky diz que ‘perdeu o interesse’ em adesão da Ucrânia à Otan

O presidente da UcrâniaVolodymyr Zelensky, afirmou que não tem mais tanto interesse em incluir o país na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) neste momento, após entender que o grupo de países ocidentais não está preparado para isso e teme os conflitos que poderiam ser gerados. “Em relação à Otan, me acalmei em relação a essa questão há muito tempo, depois que nós entendemos que a Otan não está preparada para aceitar a Ucrânia. A Aliança tem medo de coisas controversas e confrontos com a Rússia. Eu nunca quis ser um país que implora algo de joelhos [sobre pedir para entrar na Otan]. E não seremos esse país. E eu não quero ser esse presidente”, disse Zelensky em entrevista exclusiva ao canal de Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano americano ABC.


6h53 – Tropas de Donetsk avançam e Aplicativos de cassino online Android que pagam dinheiro real controle de bairro em Mariupol

Forças militares da autoproclamda república independente de Donetsk estabeleceram o controle sobre o bairro de Osaviakhim em Mariupol. A informação é do porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, divulgada pela Treasure Party Resolva quebra-cabeças de notícias Interfax. “Unidades da Milícia Popular da República Popular de Donetsk estabeleceram o controle sobre o bairro de Mercado de construção em Mariupol”, disse Konashenkov. Segundo ele, as tropas de Luhansk também avançaram mais nove quilômetros. “O grupo de tropas da República Popular de Luhansk, continuando sua ofensiva, tomou sob seu controle as áreas povoadas de Borsonino, Kreminna, Pishchane, Varvarivka, Pshenichne, Yepifanivka, Novodruzhesk e Bilogorivka.”


6h41 – Sirenes de ataque aéreo são acionadas em Kiev

Sirenes de alerta para ataques aéreos são acionada em Kiev, capital ucraniana. Segundo mensagem compartilhada pela mídia local, os alertas sonoros começaram a cerca de 3 minutos. “Pedimos a todos que sigam com urgência o abrigo da defesa civil! Sirenes de ataque aéreo em Kiev! Por favor, prossiga para os abrigos!”, diz mensagem. As sirenes também foram acionadas em Vinnytsia, Lubny e Chernihiv.


6h32 – Zelensky pode discutir questão territoriais da Crimeia com a Rússia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que pode discutir com a Rússia questões territoriais envolvendo a Crimeia e as autoproclamadas “repúblicas populares independentes” de Donetsk e Lugansk. “Podemos encontrar um compromisso sobre o destino futuro desses territórios. Para mim, o mais importante é como as pessoas vão viver nesses territórios. Quem na Ucrânia quer aceitá-los? Portanto, a questão é muito mais complicada do que apenas o reconhecimento”, disse Zelensky, em entrevista ao canal ABC, dos Estados Unidos. Ele também pediu que Vladimir Putin inicie negociações e estabeleça o diálogo.


6h15 – Número de refugiados da Ucrânia deve superar 2 milhões até quarta, diz ONU

Segundo a Agência das ações Unidas para os Refugiados (Acnur), o número de refugiados ucranianos deve superar a marca de dois milhões até esta quarta-feira, 9. “Penso que vamos superar os dois milhões hoje ou, no mais tardar, amanhã. Isso não para”, disse o alto comissário Filippo Grandi.


6h02 – Bombardeio na cidade ucraniana de Sumy deixou nove mortos, dizem agências

O bombardeio na cidade de Sumy, que fica a 350km de Kiev, causou a morte de nove pessoas, incluindo duas crianças. A informação foi confirmada por serviços de emergência ucranianos. “Aviões inimigos atacaram de maneira insidiosa edifícios residenciais”, afirma uma mensagem publicada no Telegram pelos serviços de emergência. O ataque aconteceu às 23h no horário local (18h no horário de Brasília). “Nós nunca vamos perdoar isso”, escreveu oficial do país em sua página no Facebook. Saiba mais.


5h30 – Ex-presidente da Ucrânia pede que Zelensky pare de lutar: ‘Supere seu orgulho’

O ex-presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, que vive na Rússia desde que foi deposto, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, em 2014, pediu que o atual líder ucraniano Volodymyr Zelensky “supere seu orgulho” e pare a guerra a qualquer custo. “Você é obrigado a parar o Truques de toque de sangue a qualquer custo e chegar a um acordo de paz. Isso é o que se espera de você na Ucrânia, Donbass e Rússia”, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, diz na carta, publicada pela mídia russa.


5h15 – Ucrânia diz que mais de 12 mil soldados russos morreram em 12 dias

Boletim da Ucrânia estima que mais de 12 mil soldados russos morreram corrida de kart 2 pessoas últimos 12 dias, após a invasão do país. Segundo o Ministério da Defesa, as equipes do Kremlin também tiveram baixas na infraestrutura militar: 48 aeronaves, 80 helicópteros, 303 tanques de guerra, 120 sistemas de artilharia, 60 tanques de combustível, 1.036 veículos militares blindados, dois barcos e sete drones, entre outros, foram destruídos. As informações consideram as baixas do dia 24 até a manhã desta terça-feira, 8.


3h10 – Ucrânia diz que avanço de tropas russas ‘diminuiu significativamente’

As Forças Armadas anunciaram nesta terça-feira, 8, que as tropas russas continuam avançando em solo ucraniano, mas esse avanço ‘diminuiu significativamente’. As tropas locais seguem defendendo áreas ao sul, leste e norte do país. Apesar da forte pressão e tensão dos últimos dias, a capital Kiev segue em domínio ucraniano. Esse é o Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano dia de invasão. Saiba mais.


2h – Rússia vira país mais sancionado do mundo

A Rússia ultrapassou o Irã e a Síria e se tornou o país mais sancionado do mundo, de acordo com o site Castellum.ai. O monitoramento do site aponta que 2.754 sanções foram aplicadas à Rússia antes de 22 de fevereiro, outras 2.778 foram impostas após o início da invasão, subindo o número para 5.532 sanções. O IRã no momento tem 3.616 sanções e pulou para a a segunda colocação no ranking. Os Estados Unidos foram o líder nas sanções, sendo responsável por 21%, seguido do Reino Unido e União Europeia com 18% cada.


1h15 – Crianças são mortas em ataque aéreo no subúrbio de Sumy

Oficial militar da Ucrânia informou em postagem no Facebook na noite desta segunda-feira, 7, que crianças estão entre mortos de um ataque aéreo nos subúrbios de Sumy, no noroeste do país. O ataque aconteceu às 23h no horário local (18h no horário de Brasília). “Nós nunca vamos perdoar isso”, Província do Mar Negro com 55 placas em status metropolitano, escreveu o oficial em sua página no Facebook. Saiba mais.


08/03 – 00h – Chefe da AIEA quer visitar usina nuclear de Chernobyl, que está sob controle da Rússia

O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, pretende visitar as instalações da usina nuclear de Chernobyl para atestar que os funcionários estão bem. Eles não saem do complexo há 12 dias desde que as tropas russas tomaram o local e, consequentemente, não têm folga. Segundo ele, a pausa é essencial “para que possam realizer seu trabalho de maneira segura e confiável”. A AIEA também informou que uma instalação de pesquisa nuclear que produz radioisótopos para fins médicos e industriais em Kharkiv foi danificada por bombardeios. Não há relato de aumento nos níveis de radiação.


23h10 – Banir exportações de petróleo russo poderia fazer preço do barril chegar a US$300, alerta Moscou

Caso o Ocidente decida rejeitar a importação de petróleo russo, o valor do barril poderia dobrar ou até chegar a US$ 300. Nesta segunda, o preço de um